Marietta Bartelega: vice-prefeita de Lorena tem se destacado por liderança em ações durante a pandemia e apresenta detalhes do seu trabalho e vida

Marietta Bartelega: vice-prefeita de Lorena tem se destacado por liderança em ações durante a pandemia e apresenta detalhes do seu trabalho e vida

Filha da saudosa Regina Bartelega, Marietta Bartelega carrega no sobrenome e nas atitudes a paixão pela cidade e pelas pessoas

Nome cada vez mais citado nas rodas políticas e também nas conversas de vizinhança dos bairros de Lorena, Marietta Bartelega carrega no sobrenome e nas atitudes a paixão pela cidade e pelas pessoas.

Desde muito pequena, a filha da saudosa Regina Bartelega aprendeu a pensar e a olhar pelas pessoas que mais precisam. Aos mais antigos de Lorena, a lembrança de sua mãe e sua ambulância sempre à postos a levar para São Paulo aquelas pessoas que precisavam de tratamentos específicos ainda é muito marcante (à época Lorena não possuía atendimento especializado nos hospitais).

Agora, Marietta ganha protagonismo e notoriedade na política de Lorena por colocar em prática o que aprendeu no berço e prestes a completar 53 anos, se destaca por seu desempenho como vice-prefeita, em especial por somar com um olhar social peculiar ao segundo mandato do prefeito Fábio Marcondes.

Em um bate-papo com a equipe do Jornal Folha Valle, Marietta conversou sobre vários temas importantes, entre eles, sua atuação como vice-prefeita e seu projeto de pré-candidatura a prefeita de Lorena.

Marietta, diferente dos vices convencionais, você tem demonstrado que é possível ser uma vice-prefeita atuante. Quem já acompanha política te conhecia, mas grande parte da comunidade sentiu seu nome se destacando mais nos últimos tempos, acredito que em especial por sua abordagem aos temas relacionados a pandemia da Covid-19. Em que momento você sentiu que poderia usar seus canais de comunicação para essa prestação de contas do que estava ocorrendo em Lorena? 

Primeiro, agradeço o espaço cedido. A imprensa local e regional sempre me deu muito espaço para apresentar o trabalho da Prefeitura e também das atividades que realizamos, em especial vocês do Jornal Folha Valle. Acredito que nós como representantes da população não podemos ficar passivos diante da maior crise de saúde pública vivida no país e no mundo. Encontrei em minhas redes sociais, até por incentivo dos amigos que acompanham meu trabalho, o caminho para me comunicar com as pessoas em um momento onde o distanciamento social tornou-se ferramenta de prevenção. Por mais que a gente acompanhe jornais, programas de rádio, ter alguém próximo falando localmente é importante. Por isso, iniciei um cronograma de lives, vídeos, postagens explicativas, em um momento que a população buscava e ainda busca muito o entendimento de toda essa situação e de como a administração pública tem atuado para ajudar a minimizar os problemas gerados pelo CoronaVírus. O resultado realmente foi muito positivo e digo mais, a maior parte dos temas era indicação vinda da própria rede social e isso ajudou bastante a entender o que as pessoas queriam saber.

Recentemente, você coordenou o Programa de Renda Emergencial Temporária, projeto pioneiro que garantiu para mais de 5 mil lorenenses auxílio para alimentação neste período de pandemia. Como foi encabeçar esse projeto?

Sem dúvidas este projeto foi uma importante demonstração à população de que a Prefeitura está pensando fora na caixa, como se diz. Foi desafiador até porque não tínhamos grandes referências para embasarmos nossa ação, mas temos em Lorena uma equipe muito empenhada que traçou metas, se dedicou muito e o resultado está aí, com 5.851 mil famílias beneficiadas com um cartão multiuso, com crédito de R$122, 42, durante dois meses (maio e junho), para somar aos demais benefícios de programas estaduais e federais. Cada um fazendo um pouco, a gente minimiza os danos gerados por esta pandemia em nossa cidade.

Marietta, você já se declarou pré-candidata ao cargo de prefeita na cidade e é normal que as pessoas passem a te observar mais neste período. Como é para você estar em evidência?

Olha, eu trabalhei muito nesses três anos e meio, conquistei meu espaço e a confiança do prefeito Fábio Marcondes, e graças a Deus pude contribuir com ideias, trazer muita novidade e mudança. Tenho em minhas redes sociais toda prestação de serviço de meu mandato até aqui. Não teve uma semana neste período que deixei de prestar contas das minhas ações e do meu trabalho. Podem conferir lá no Facebook e pesquisar à fundo. Desde minha posse como vice-prefeita tenho utilizado as redes sociais para continuar próxima da população. Para quem quer conhecer mais do trabalho que desenvolvi junto a minha equipe. Tive o prazer de ser presidente do Fundo Social de Solidariedade e criei uma paixão por deste departamento, além das funções administrativas que assumi. Acho que um pouco pela proximidade com muito do trabalho social que vi minha mãe fazer ao longo de sua vida. Conseguimos transformar o que antes era visto como atividade ocupacional em profissão. Fomos à São Paulo e trouxemos novos cursos, como Pedreiro, Depilação e Design de Sobrancelhas, e garantimos novas oportunidades gratuitas de mudança de realidade, com chance real de renda. Muitos dos alunos viraram meus amigos, montaram seus negócios e mais importante, resgataram seus sonhos e sua autoconfiança. Isso para mim vale muito!

Você falou sobre sua mãe e nós não podemos deixar de citá-la também, tendo em vista que Regina Bartelega fez história em Lorena, motivada por seu amor pelas pessoas. Ela seria sua maior inspiração na vida pública?

Sem dúvida. Minha mãe é minha referência na vida pública, mas também como mãe, como empresária. Contei isso em uma live de dia das mães que fiz tendo minha irmã como convidada, lembro de muito pequena ver minha mãe acordando de madrugada para atender pessoas em situação de vulnerabilidade que não tinham acesso a uma saúde pública de qualidade em uma época que tudo era realmente muito difícil. Ela chegou a ter uma ambulância na porta de casa, com profissionais pagos por ela, sem ajuda do Poder Público, para atender essas pessoas. Para ela, o social era sua responsabilidade. Seu amor pelas pessoas era lindo e muito inspirador. Sem dúvidas, sou privilegiada de carregar parte da história dela comigo e ter aprendido na prática a nunca me aquietar diante de situações difíceis.

Você é uma mulher na política e os números mostram que as mulheres precisam assumir o protagonismo também nesta frente. Como é sua relação com as políticas públicas para mulheres?

Sem dúvidas as mulheres precisam se enxergar mais no cenário político. Somos maioria do eleitorado e precisamos de representatividade. No sentido geral, acredito muito que o lugar da mulher é onde ela quiser estar. Temos mulheres que amam se dedicar ao lar, mulheres chefes de família, mulheres assumindo com muita responsabilidade as mais diversas profissões, e o que me deixa feliz é saber que as mulheres estão onde estão por vontade própria e felizes. Bato muito na tecla que neste acúmulo de papéis que assumimos, muitas vezes negligenciamos nossa saúde, esquecemos o autocuidado. Por isso, é preciso ainda falar e conscientizar sobre a saúde da mulher. Conseguimos trazer em 2018, pela primeira vez, a Carreta da Mamografia do Governo do Estado de São Paulo, garantindo que centenas de mulheres lorenenses fizessem o exame de mama gratuitamente, reduzindo a demanda de pedidos da especialidade do SUS na cidade. Temos outras campanhas que pude integrar e participar, como a Campanha Anual de Prevenção ao Câncer, mutirões do Outubro Rosa, que atendem centenas de mulheres por ano.

Marietta, vamos falar de pré-candidatura. No sentido geral, os prefeitos em 2021 terão grandes desafios. A crise da Covid-19 vai passar, mas suas consequências devem afetar ainda por um certo período a população. Neste sentido, quais seriam suas prioridades como pré-candidata?

Minha principal característica é o lado social. Quero continuar sendo uma representante pública que está próxima das pessoas, ouvindo, atendendo, lutando em especial pelos grupos em vulnerabilidade, e o pós-pandemia colocará muitas famílias neste grupo, infelizmente. Essa é uma preocupação minha e vou priorizar a busca por captação de novas empresas, o fomento da geração de empregos e renda, utilizar as leis de incentivos de nossa cidade para atrair novas indústrias e empresas. Sem dúvidas, 2021 será um ano que demandará experiência, relação com o setor privado, e quero usar esses meus 30 anos como empresária e esses quatro anos de aprendizado no Poder Público para isso.

ACESSE O FACEBOOK DA MARIETTA BARTELEGA: CLIQUE AQUI

Segunda-feira, 22 de junho é seu aniversário, certo? A gente não vai te pedir para contar a idade, mas pode nos contar o que a experiência traz para o seu crescimento pessoal?

Sou uma mulher muito tranquila em relação a idade. Amo comemorar cada ano e não tenho nenhum problema em contar que estou completando 53 anos de vida. Sou grata a Deus por tudo que aprendi, vivi, as experiências e as marcas de expressão que esses anos me deram. Nós mulheres estamos cada vez mais imponderadas, confiantes que cada fase da vida tem sua beleza. Me considero uma mulher ainda mais forte, a vida me ajudou muito nisso. Ganhei responsabilidade muito cedo com o falecimento precoce de minha mãe e de meu pai. Tive tempo de aprender e reaprender. Tenho uma família maravilhosa, um marido companheiro, filhos incríveis e até dois netinhos que amo muito. E a vida é isso. Uma busca incessante de novas experiências, aprendizados e desafios.

Compartilhe


Comentários


Notícias Relacionadas


ii